MPEs terão facilidades com o Simples Exportação

Compartilhe nas redes!

Exportação sempre foi um tema para grandes empresas, pois a complexidade dos processos limitava a participação das micro e pequenas empresas nesta atividade. Porém, com o Decreto 8870/2016, editado em 06 de outubro de 2016 e que institui o Simples Exportação, as MPEs passam a ter maior facilidade para ingressar no mercado internacional e levar produtos brasileiros para outros países. Que tal conhecer um pouco melhor essa novidade?

O que é o Simples Exportação

Uma medida tomada pelo governo brasileiro para facilitar a entrada de micro e pequenas empresas no mercado de exportações. A partir do Portal Único do Comércio Exterior, os empreendedores terão acesso a todas as informações de que necessitam para iniciarem suas atividades como exportadores.

Entenda um pouco mais sobre ME e Epps

Todas as operações de exportação realizadas pelas MPEs deverão ser realizadas com a intermediação de um operador logístico habilitado, que terá permissão para:

  1. Habilitar a empresa para exportação;
  2. Obter licenciamento administrativo;
  3. Realizar o despacho aduaneiro;
  4. Consolidar e desconsolidar cargas;
  5. Contratar seguros;
  6. Realizar câmbio;
  7. Por fim, providenciar transporte e armazenagem.

Além disso, o empreendedor terá acesso a processos unificados, com a segurança da integração entre os órgãos envolvidos, o que facilitará os trâmites e pagamento de impostos.

As dificuldades enfrentadas pelas MPEs na exportação

De acordo com levantamento do Sebrae, as micro e pequenas empresas sempre tiveram dificuldades de acesso às exportações devido aos altos custos e a dificuldade de obter crédito para iniciar uma operação desta natureza. Outro entrave sempre foi a falta de informação sobre os processos de exportação, que agora fica mais simples com a instituição do Simples Exportação.

Segundo os micro e pequenos empreendedores, as principais dificuldades de acesso ao mercado exportador são:

  1. Primeiramente o acesso aos mercados-alvo (8%);
  2. Em segundo lugar preços e tributos (8%);
  3. Canais de comercialização (7%);
  4. Tributos (6%);
  5. Câmbio (6%);
  6. Acesso a financiamentos (5%);
  7. Por fim, trâmites alfandegários (5%).

Esses dados, apontador por pesquisa do Sebrae, demonstram o quanto uma medida que facilita e potencializa a participação de micro e pequenas empresas na exportação é importante para fomentar o comércio e libertar as MPEs dos entraves históricos para ter acesso a alternativas de vendas em momentos de crise.

E você, o que pensa desta novidade? Acredita que o exportação simples nacional 2018 vai contribuir para que as micro e pequenas empresas comecem a exportar mais? Deixe seu comentário!

O euContador é um escritório de contabilidade online com atendimento direto e personalizado (chat, skype, whatsapp ou telefone).
Mantemos sua empresa 100% REGULARIZADA !
Comece agora mesmo!!!
Classifique nosso post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Veja também

Posts Relacionados

Simples Nacional para engenheiros

Simples Nacional para engenheiros

Como funciona o Simples Nacional para engenheiros? Será que este é o melhor regime tributário para engenheiros que possuem ou pretendem abrir um CNPJ? Em

Recomendado só para você
Todo novo evento que impacta as finanças da empresa deve…
Cresta Posts Box by CP