Fiscalização Orientadora para os comerciantes

Compartilhe nas redes!

O novo zoneamento deve trazer mais uma novidade para os comerciantes da cidade. A Câmara Municipal de São Paulo estuda aprovar, em segunda votação, uma emenda que estabelece novos prazos para a regularização de estabelecimentos comerciais sem licença de funcionamento, trazendo como novidade a Fiscalização Orientadora.

A alteração foi publicada no Diário Oficial no dia 20/02/2016, para que toda a cidade conheça o novo texto antes da segunda votação no legislativo, prevista para o próximo dia 25.

A proposta prevê que a primeira visita do agente vistor tenha “natureza exclusivamente orientadora“.

Ou seja, o profissional poderá somente notificar as irregularidades detectadas e orientar o comerciante sobre os procedimentos necessários à sua correção, sendo proibida a multa imediata. Estima-se que 92% dos estabelecimentos comerciais da cidade funcionem sem licença.

De acordo com a emenda do vereador Ricardo Nunes (PMDB), os prazos para regularização poderão ser ampliados de cinco para, no mínimo, 60 dias, após a fiscalização orientadora.

 

E caso constatado a continuidade de irregularidade?

Se constatada a continuidade de irregularidade após o prazo determinado, o comerciante será multado.

  • “Não queremos flexibilizar a fiscalização, mas combater a corrupção. O zoneamento pode fazer essa transição, da cidade ilegal para a cidade legal”, diz Nunes.

O tema também foi muito debatido pelo:

  • CPU (Conselho de Política Urbana)
  • ACSP (Associação Comercial de São Paulo), que no início da semana, assinou um manifesto a favor da fiscalização

Para Antonio Carlos Pela, coordenador do CPU e vice-presidente da ACSP, de uma forma geral, o papel dos agentes fiscais é orientar e não punir.

“O zoneamento tem que avançar, e punir sem orientar significa retroceder”, diz.

A pedido do vereador Paulo Frange (PTB), relator do projeto, o Savim (Sindicato dos Agentes Vistores e Agentes de São Paulo) realizou alguns reparos na lei sobre fiscalização para o substitutivo.No entanto, para Claret Fortunato, presidente do Savim, a alteração formatada desse modo pode ser perigosa.

“Recebi essa notícia com surpresa. Na minha opinião, quem tem tendência a se desviar da lei vai encontrar uma brecha ainda maior”, diz.

Fizemos este conteúdo denso sobre comércio

Além de não concordar com a medida, Claret acredita que:

  • a novidade não prosperará, pois a proposta colide com o novo sistema de fiscalização digitalizada já em fase de correção para aplicação.“Estamos prestes a lançar um novo sistema, e nele não está previsto essa ampliação de 60 dias para regularização”, diz.

“Acho estranho lançarem leis sem saber o que está se passando tecnicamente”.

Entretanto, Claret também defende a ação orientadora.

“Falta informação, os comerciantes não fazem a menor ideia do que pode ou não ser feito, e de seus direitos e deveres”, diz. “Além disso, é preciso facilitar a obtenção de licenças e alvarás.

Somos a favor da agilidade para formalização. Mas, o que é estabelecido pela lei deve ser cumprido.”

Fonte: Diário do Comércio – SP
O euContador é um escritório de contabilidade online com atendimento direto e personalizado (chat, skype, whatsapp ou telefone).
Mantemos sua empresa 100% REGULARIZADA !
Comece agora mesmo!!!
Classifique nosso post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Veja também

Posts Relacionados

Simples Nacional para engenheiros

Simples Nacional para engenheiros

Como funciona o Simples Nacional para engenheiros? Será que este é o melhor regime tributário para engenheiros que possuem ou pretendem abrir um CNPJ? Em

Recomendado só para você
Na semana passada, conversava com um executivo que se queixava…
Cresta Posts Box by CP