30 bilhões de crédito para pequenas empresas

Compartilhe nas redes!

Com o objetivo de movimentar a economia e dar fôlego às micro e pequenas empresas, o governo federal abriu linha de crédito que fornecerá 30 bilhões aos micro e pequenos empresários.

As micro e pequenas empresas representam 95% dos empreendimentos no país e 27% do PIB – Produto Interno Bruto.

Elas também são responsáveis por 40% dos empregos formais no país, o que ressalta a importância delas para a economia brasileira.

Quem terá direito ao crédito

As pequenas empresas no Brasil enquadradas no Simples Nacional, com faturamento até 3,6 milhões de reais, terão acesso ao crédito, que será liberado em forma de empréstimo ou financiamento.

Os juros devem ser até 30% menores do que as atualmente praticadas, aumentando o acesso:

  1. em primeiro lugar no capital de giro,
  2. em segundo lugar em investimentos e
  3. por fim na modernização para estes empreendimentos.

Saiba um pouco mais sobre comércio

Os MEIs – Microempreendedores individuais também terão acesso à linha de financiamento criada pelo governo, o que coloca 9 milhões de pequenas empresas no Brasil como candidatas ao benefício.

Onde buscar o crédito

As instituições bancárias serão responsáveis por conceder o crédito aos micro e pequenos empreendedores, sendo que as entidades já cadastradas são:

  1. Banco do Brasil,
  2. Caixa Econômica Federal,
  3. BNDES,
  4. Santander,
  5. Bradesco e
  6. Itaú.

As instituições bancárias públicas fornecerão cerca de:

  • 20 bilhões e as privadas em torno de 10 bilhões para as linhas de crédito, cujos juros serão determinados pela própria entidade.

Os prazos serão de até:

  • 60 meses e os juros estão estimados a partir de 1,49% ao mês.

Alternativas ao crédito bancário

Muitos empreendedores acabam não conseguindo acesso a crédito bancário por falta de documentos exigidos no momento da contratação do crédito, como:

  1. em primeiro lugar fiadores e
  2. em segundo lugar garantias de pagamento,

O que deixa uma parcela do empresariado frustrada ao solicitar este tipo de benefício.

Uma alternativa que pode vir bem a calhar neste momento é a antecipação de recebíveis junto a uma pequena empresa de factoring.

As factorings compram títulos a vencer do empreendedor, gerando capital imediato para que ele possa investir no negócio.

Por exemplo:

  • José vendeu 10 mil reais a prazo, sendo 12 parcelas 833 reais.

No entanto, ele precisa de capital de giro para sua pequena empresa.

O que ele faz é vender à factoring esses recebíveis, mediante uma taxa, recebendo os 10 mil reais menos as taxas imediatamente da factoring.

A pequenas empresas no Brasil de fomento mercantil é que passará a receber os valores parcelados, enquanto José injeta o capital de giro na empresa e mantém o negócio saudável, sem precisar da ajuda dos bancos.

Simples exportação

De fator outra medida anunciada pelo governo é o Simples Exportação, que visa:

  • reduzir a burocracia para que micro e pequenas empresas no Brasil empreendedores possam exportar seus produtos com mais facilidade.

Em suma, precisamos movimentar a economia para reativar a confiança no país, por isso, essas medidas são vistas como:

  • benéficas para quem tem um negócio e precisa de capital para investir e continuar operando sem dificuldades.
O euContador é um escritório de contabilidade online com atendimento direto e personalizado (chat, skype, whatsapp ou telefone).
Mantemos sua empresa 100% REGULARIZADA !
Comece agora mesmo!!!

 

Classifique nosso post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Veja também

Posts Relacionados

Simples Nacional para engenheiros

Simples Nacional para engenheiros

Como funciona o Simples Nacional para engenheiros? Será que este é o melhor regime tributário para engenheiros que possuem ou pretendem abrir um CNPJ? Em

Recomendado só para você
A modernização da CLT é defendida pela Febrac (Federação Nacional…
Cresta Posts Box by CP