ISS: O que é, como calcular e quem deve pagar

Compartilhe nas redes!

ISS – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza é um tributo municipal que incide sobre empresas e profissionais prestadores de serviços, com alíquotas que variam de 2% a 5% sobre os serviços prestados.

Previsto na Constituição Federal, o ISS foi regulamentado pela Lei Complementar 116/2003 que diz o seguinte:

Art.1º O Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, de competência dos Municípios e do Distrito Federal, tem como fato gerador a prestação de serviços constantes da lista anexa, ainda que esses não se constituam como atividade preponderante do prestador.

De fundamental importância para a arrecadação dos municípios, o ISS é um dos principais impostos previstos na legislação fiscal brasileira.

Em função da sua importância, nesse conteúdo, o Eu Contador apresenta um verdadeiro guia sobre o ISS, retirando as principais dúvidas sobre o assunto.

Como calcular o ISS?

O ISS incide de forma direta sobre o valor dos serviços prestados, respeitadas as seguintes alíquotas:

“Art. 8o As alíquotas máximas do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza são as seguintes: 

I –   (VETADO)

II – demais serviços, 5% (cinco por cento). 

Art. 8º-A.  A alíquota mínima do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza é de 2% (dois por cento).

Respeitados os limites legais, cabe às prefeituras definir as alíquotas que serão aplicadas nos seus respectivos municípios.

Uma vez conhecida a alíquota  a ser aplicada, basta multiplicá-la pelo valor do serviço prestado, conforme o exemplo abaixo:

  • Valor do Serviço: R$ 20.000,00
  • Alíquota de ISS: 5%
  • Valor do ISS: R$ 10.000,00 x 5% = R$ 10.000,00

Empresa do Simples Nacional paga ISS?

A legislação em vigor determina que o ISS tem como fato gerador a prestação de serviços, ou seja, incide sobre toda e qualquer empresa prestadora de serviços, incluindo aquelas que estão enquadradas no Simples Nacional.

De acordo com a legislação em vigor, estão sujeitas ao pagamento do ISS pelo Simples Nacional as empresas enquadradas nos anexos III, IV ou V do referido regime.

Como pagar o ISS?

O pagamento do ISS pode ser realizado de duas maneiras:

  • Empresas do Lucro Real e Lucro Presumido: Pagam o ISS por meio de guia específica calculada e gerada pela contabilidade.
  • Empresas do Simples Nacional: Pagam o ISS em conjunto com outros impostos, por meio da guia DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional.

É muito importante, observar a data de vencimento das guias, evitando assim, a cobrança de juros, multas e outras penalidades, como a suspensão do Alvará de Funcionamento.

Como emitir nota fiscal de ISS?

Agora que você já sabe o que é, quem deve pagar e como calcular o ISS, é hora de conferir o passo a passo para emissão das Notas Fiscais de Serviço (NFSe).

Para emitir esse tipo de nota fiscal, as empresas precisam de um CNPJ ativo, vinculado a uma ou mais atividades de prestação de serviços.

Além disso, é preciso contar com uma Inscrição Municipal válida, alvará de funcionamento e solicitar à prefeitura do seu município, a permissão para emitir notas fiscais.

Por fim, cada nota fiscal emitida deve apresentar as seguintes informações:

  • CNPJ e endereço completo da empresa emissora;
  • CNPJ/CPF e endereço completo do cliente;
  • Discriminação dos serviços prestados;
  • Valor e discriminação dos impostos;
  • Valor dos serviços prestados.

Qual a penalidade para empresas que não recolhem o ISS?

Empresas que mesmo sendo obrigadas não recolhem o ISS, ficam sujeitas a uma série de penalidades, incluindo:

  • Cobrança de multa e juros por atraso;
  • Cassação do Alvará de Funcionamento;
  • Cobrança judicial dos tributos devidos;
  • Suspensão do CNPJ até regularização dos débitos.

Além disso, o responsável legal pela empresa pode responder pelo crime de sonegação fiscal, cuja pena pode chegar a 5 anos de reclusão, conforme previsto na Lei 8.137/90:

“Art. 1° Constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo, ou contribuição social e qualquer acessório, mediante as seguintes condutas: 

I – omitir informação, ou prestar declaração falsa às autoridades fazendárias; 

II – fraudar a fiscalização tributária, inserindo elementos inexatos, ou omitindo operação de qualquer natureza, em documento ou livro exigido pela lei fiscal; 

III – falsificar ou alterar nota fiscal, fatura, duplicata, nota de venda, ou qualquer outro documento relativo à operação tributável; 

IV – elaborar, distribuir, fornecer, emitir ou utilizar documento que saiba ou deva saber falso ou inexato; 

V – negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente, relativa a venda de mercadoria ou prestação de serviço, efetivamente realizada, ou fornecê-la em desacordo com a legislação. 

Pena – reclusão de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.”

Evite problemas com o fisco e com o judiciário, conte com o apoio do nosso time de contadores e mantenha o pagamento do ISS da sua empresa em dia.

Sobre quais serviços o ISS não incide?

De acordo com a Lei Complementar 116/2003 o ISS não incide sobre:

  • As exportações de serviços para o exterior do País;

 

  • A prestação de serviços em relação de emprego, dos trabalhadores avulsos, dos diretores e membros de conselho consultivo ou de conselho fiscal de sociedades e fundações, bem como dos sócios-gerentes e dos gerentes-delegados;

 

  • O valor intermediado no mercado de títulos e valores mobiliários, o valor dos depósitos bancários, o principal, juros e acréscimos moratórios relativos a operações de crédito realizadas por instituições financeiras.

Contabilidade para empresas prestadoras de serviços

Você que chegou até aqui, já sabe tudo sobre o ISS – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza.

Sendo assim, é hora de contar com o apoio de uma contabilidade especializada e preparada para oferecer toda a assessoria que você e a sua empresa precisam.

Venha para o Eu Contador, conheça alguns dos nossos benefícios para a sua empresa:

  • Tenha tudo dentro do prazo, sem atrasos;
  • Emissão de notas fiscais simplificadas;
  • Atendimento rápido e personalizado;
  • Soluções inovadoras para o seu negócio;
  • Satisfação garantida em nossos serviços;
  • Equipe de profissionais especializados.

Temos planos sob medida para as suas necessidades e profissionais capacitados para tirar todas as suas dúvidas e garantir que a sua empresa permaneça sempre em dia com o fisco!

Deseja tirar dúvidas ou saber mais? Clique em um dos botões abaixo e entre em contato com um dos nossos especialistas!

Classifique nosso post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Veja também

Posts Relacionados

Simples Nacional para engenheiros

Simples Nacional para engenheiros

Como funciona o Simples Nacional para engenheiros? Será que este é o melhor regime tributário para engenheiros que possuem ou pretendem abrir um CNPJ? Em

Recomendado só para você
Uma das decisões do Poder Judiciário mais aguardadas para esse…
Cresta Posts Box by CP